Resident Evil a série – Uma aposta arriscada da Netflix

Fiquei muito surpreso ao perceber o novo lançamento da Netflix, Resident Evil a série. Afinal, com uma perda colossal de assinantes nos últimos meses, eles precisam acreditar muito que a produção vai funcionar. E deu bom!

Acredito fielmente que a franquia de Zumbis foi avassaladora para geração Z, e um divisor de águas no que tange adaptações de jogos, provou ter um enredo promissor e ninguém conseguiu fazer igual, apesar de muitas tentativas. Agora em 2022 temos outra adaptação com muito sangue, um frenesi de mortos vivos e claro, mordidas. Resident Evil evoluiu de tempos em tempos, e segue sendo a melhor produção de zumbis que já existiu na cultura pop.

A série aconteceu, se você der um Google, e entrar nos portais de crítica especializada, vai encontrar a longa completamente esmagada pela crítica, e pelo visto, nem os fãs mais fiéis da obra ficaram satisfeitos. A nota? Um amarelo. Sim. Devo concordar que não foi o melhor projeto extraído da franquia. Mas eu adorei e vou falar o porque! 🙂

Os contras…

A narrativa pode ter sido clichê em algumas cenas das 8 horas da longa. A principio, você tem que entender que o T-virus já existe, e o planeta já passa pela tormenta final antes de virar um campo apocalíptico de zumbis. A série vai abordar duas linhas do tempo distintas.

Ambas as linhas do tempo apresentam as irmãs gêmeas Jade (Tamara Smart/Ella Balinska) e Billie Wesker (Siena Agundong/Adeline Rudolph), as duas protagonizam muito drama familiar e rebeldia com seu ocupado pai e cientista Albert Wesker (Lance Reddick). Na primeira linha do tempo em 2022, após o apocalipse zumbi, elas lidam com dramas da adolescência e a mudança de vida na Nova Raccoon Citty, o que faz com que as relações se abalem e tudo começa a girar em torno de odiar o pai e a Ubrella Corporation. Além disso, ali vemos como todo processo da história entre as duas irmãs se inicia, é bem explicado os famosos: quando, onde e por que?

A série focou mais na Jade, e a personagem é bem trabalhada na segunda linha do tempo, que se passa em 2036. Jade adulta é uma cientista que procura pela cura do zeros (os primeiros zumbis), um grande fardo pra se carregar, mas é tudo por amor. Essa busca desenfreada pela descoberta da cura dos zeros, só leva a personagem a tomar decisões duvidosas que na maioria das vezes colocou sua vida em risco e de outras pessoas. Mas ela consegue um feito, é notável e espero saber mais sobre essa descoberta na próxima temporada.

A narrativa funcionou bem

Um dos pontos que mais gostei no quesito atuação, foi o Albert Wesker, o pai das meninas. Ele conseguiu flutuar muito bem entre o pai amoroso e o cientista obcecado que gira em torno do personagem. Ele consegue mudar muito rápido essas expressões em diferentes contextos das cenas, o resultado? É a duvida cruel se o personagem é um dos mocinhos ou vai ser mais um monstro pronto pra matar suas próprias filhas.

A série é instigante sim. Os produtores inseriram um pano de fundo que vem dos jogos, o que poderia soar um pouco clichê, mas serviu pra dar o climax na narrativa. Dá pra evoluir com fórmulas prontas e repetidas? Não sei, mas conseguiram sustentar. As cenas de luta foram o ápice, e não deixaram a desejar pela produção sonora. A trilha sonora é explosiva e dá mais energia para as próximas horas que seguem.

A série tem uma fotografia muito bem feita, as cenas foram bem pensadas, com problemáticas doidas e com soluções impossíveis, mas acredite, no final tudo faz sentido nesse mundo de zumbi. Você vai se deparar com plot atrás de plot. A narrativa é carregada de cenas explosivas, tensas e cheias de reviravoltas.

A série é instigante, te faz querer saber mais sobre aquelas histórias cruzadas. Resident Evil tem uma combinação gananciosa, tem química, o trabalho de produção visual ficou matador e as combinações pra deixar a série mais atraente funcionaram muito bem. Animais monstruosos e gigantescos, armas tecnológicas e a ciência ardilosa por exemplo. Eu gostei que eles criam situações e resoluções impossíveis. Os jogos tem disso, quebra-cabeças que fazem menos sentido mas que dão fervor quando resolvidos, Resident Evil é ótima, foi feita para os fãs, mesmo se você nunca assistiu nada relacionado a obra, consegue captar bem o que está acontecendo.

Agora é aguardar o desenrolar do final na 2ª temporada. Minhas expectativas mordem Netflix, é bom ser melhor que a primeira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s