A Babá (2017) | Um Terror que Não Foi Feito Pra Assustar

A nova aposta da nossa grandiosa Netflix, é o filme A Babá. Um terror que trás no seu enredo muita comédia e sarcasmo adolescente, e bom, o filme tem tudo pra ser icônico, e vai te levar aos risos com todos os diálogos criados durante a trama.
 
Cole (Judah Lewis), é um típico adolescente americano, que além de sofrer bullyng na escola por ser o único a ter uma babá, vive com paranoias sobre ele mesmo. Cole tem uma paixonite secreta pela sua babá, Bee (Samara Weaving). E durante uma noite, ele decide ficar acordado pra ver o que ela faz enquanto ele dorme, e então ele descobre que ela e mais quatro amigos, fazem rituais satânicos oferecendo sangue humano. É uma loucura, porque o filme começa entregar toda ação muito rápido, o que é bom, porque a trama fica bem consistente e você se prende mais rápido ao enredo. 
 
Voltando. Cole então se vê na tentativa de escapar da sua babá assassina e de seus amigos. E ai que as coisas começam a ficarem mais engraçadas, e a ação surge com uma caça sanguinária ao garoto. O filme é leve, e tem uma cota de sangue até que mediana. Cole é inteligente, um nerd tradicional, que consegue fazer armadilhas caseiras.Sua casa é palco de todas as artimanhas. E se você ir assistir ao filme achando que vai ser leve, se engana, o filme leva a violência a sério, mas não é tão pesado como o filme Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado. 
 
Os diálogos sarcásticos trazem piadas sobre costumes adolescentes, sem fugir muito do tema que eles insistem em propor. Ok! tem algumas cenas que eu me perguntava o porquê de existirem, pode ser pra encher linguiça? Talvez! Mas não deixou o filme menos interessante, e algumas conseguiram deixar mais engraçadas. Toscas, admito. Porém hilárias.
 
 
O filme é sobre a babá e eles não focam apenas nela, os outros personagens conseguiram levar a trama e deixar ela mais icônica no meio. Hanna Mae Lee (A Escolha Perfeita) que apresentou uma personagem focada em matar e obcecada em sangue, e a Bella Thorne que fez uma personagem super vaidosa e cheia de estereótipos adolescentes. HAHAHA

 

 
Resumindo, o filme trás um tema bobo, e eles fazem questão de trabalhar nesse ponto. 
Tudo faz mais sentido depois de umas mortes. A fotografia do filme não é lá aquelas coisas, mas a entrega é formidável. A Netflix, não fez nada de diferente, filmes com um ardor violento, misturados com uma comedia excêntrica, já estavam presentes. Mas essa aposta é ótima para o dia das bruxas. O foco foi divertir, e não assustar, e eles fizeram com êxito. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s